Sarampo: Brasil bate meta de vacinação, mas número de casos cresceu

Anúncio

Segundo Ministério da Saúde, 14 estados superaram a meta de 95% de cobertura. Enquanto isso, os casos de sarampo chegam a 5.660 com 14 mortes registradas.

O Ministério da Saúde anunciou nesta semana, que o Brasil atingiu a meta de vacinação de sarampo de 2019, com 95% de cobertura vacinal em criança de 1 ano. 

Segundo a pasta, 14 estados superaram a meta, incluindo São Paulo, onde há a maior concentração de casos da doença (90,5%).

A pasta também apresentou a atualização no número de casos de sarampo no país. 

Nos últimos 90 dias, foram confirmados 5.660 casos, com 14 mortes notificadas – 7 crianças menores de cinco anos, 3 na faixa etária de 20 a 29 anos e 4 adultos acima de 40 anos. 

Os óbitos foram registrados em São Paulo (13) e Pernambuco (1). Além desses estados onde ocorreram as mortes, outros 17 estão na lista de transmissão ativa da doença. 

A segunda etapa da campanha de vacinação deve começar em 18 de novembro para atender o grupo de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia.

Cobertura Vacinal

Além de São Paulo, outros 13 estados que ultrapassaram a meta.

A pasta ainda salientou a necessidade de 12 estados e o Distrito Federal se empenharem para alcançar a meta de 95%.

Sarampo

O sarampo é uma doença infectocontagiosa grave, que pode ser transmitida pela fala, tosse e espirro. 

Os sintomas da doença incluem indisposição, febre alta, mal-estar, coriza, conjuntivite, tosse, falta de apetite e erupções cutâneas vermelhas. 

Nesse período, manchas brancas podem ser observadas na face interna das bochechas. 

Já as manchas vermelhas na pele aparecem inicialmente atrás da orelha e se espalham para a rosto, pescoço, membros superiores, tronco e membros inferiores. 

O sarampo apresenta complicações que, em casos graves, podem até mesmo levar à morte, particularmente em crianças desnutridas e menores de 1 ano de idade. 

Entre as complicações estão: otite média aguda, pneumonia bacteriana, laringite e laringotraqueite. 

Em casos mais raros, há manifestações neurológicas, doenças cardíacas, miocardite.

Além de pericardite e panencefalite esclerosante subaguda (complicação rara que acomete o sistema nervoso central após sete anos da doença). 

Segundo o Ministério da Saúde, as complicações do sarampo podem deixar sequelas.

Especialmente se contraído na infância, incluindo cegueira, surdez, diminuição da capacidade mental e retardo do crescimento.

Fonte: Veja Saúde